canto

canto

Anúncios

Publicado por mariel

Desde 1959 tem sido assim

57 Comments

  1. A vida no campo é encantadora e um canto só nosso é tudo de bom no silêncio e no som do canto!

    Curtir

    Responder

    1. Que encantador comentário, Fernanda. É o que nos faz resistir ao desencanto, muito legal.

      Curtir

      Responder

  2. sentindo falta de ti…Gritando por você….Volta, Mariel!

    Curtir

    Responder

    1. Mas não é que tô, aos pouquinhos, voltando para amizades essenciais como as tuas? Coisa boa esse recado. Muito valeu

      Curtir

      Responder

  3. Mariel, tudo bem? Adorei esse junção que você sempre faz muito bem… imagem e poesia. Muito bom mesmo! Parabéns!

    Curtir

    Responder

    1. Você é um querido, Adriano. E um grande motivador, o que não se encontra a toda hora. Muito valeu.

      Curtir

      Responder

  4. Há um mês você sumiu do espaço cibernético. Qu’est-ce qu’il y a?

    Curtir

    Responder

    1. Oh, me emociona teu comentário. Silêncios necessários. Voltei e vou dar trabalho!

      Curtir

      Responder

  5. Opa. colei o link errado no comentário anterior (sou péssima nestas coisas) http://wp.me/p1vStI-LT

    Curtir

    Responder

  6. Compadre, indiquei seu blog entre meus preferidos e essa escolha não foi em nada difícil. Para continuar a brincadeira, siga as instruções no post…
    http://meiopaoeumlivro.wordpress.com/2014/04/01/the-cracking-c…loggywog-award/
    Abraço

    Curtir

    Responder

    1. Mas que tri! Fico feliz, honrado e vou ver como segue o concurso. Bah, muito feliz pela lembrança gentil, combinado?

      Curtir

      Responder

      1. Minha lembrança não foi gentil, compadre. Era imperioso, e será sempre, reconhecer que aprecio demais sua escrita, gaúcho!
        A propósito, viste que embate maravilhoso o Londrina Esporte Clube travou ontem à noite contra o Atlético paranaense? Vamos à final do estadual! Isto é tri! rs

        Curtir

        Responder

        1. Fiz um anúncio que sairá aí sobre o tema. Veja na folha de londrina e me diga o que achou.

          Curtir

          Responder

            1. Acho que sai amanhã na Folha de Londrina. Tomara que você goste

              Curtir

              Responder

              1. É impronunciável mesmo. Saudades (muitas) do quarteto de ouro da web. Quarteto de ouro soa coisa de gente de 60. Bom, eu sou do ano iluminado de 1959, acho que posso dizer isso.
                Super abraço, mesmo aos espanhóis. Super mesmo e desculpem pela demora na resposta.

                Curtir

                Responder

  7. Oi Mariel! Nominei o seu super blog ao premio http://ritmodasletras.wordpress.com/2014/03/24/the-cracking-chrispmouse-bloggywog-award/. Meus párabens! Super merecido :). Por favor segue as instrucoes indicadas no post que agreguei neste comentário. Abraco!!

    Curtir

    Responder

    1. Super obrigado. Depois vou ver o que é pedido lá pra ser feito e ver se consigo. De qualquer forma, muito valeu pelo carinho da lembrança.

      Curtir

      Responder

      1. Mais que merecido! :)

        Curtir

        Responder

  8. De manhã ouvir o canto nos vãos da janela… coisa fina.

    Curtir

    Responder

    1. Não é? Não deixe de ouvir nunca!

      Curtir

      Responder

    1. Comadre, silêncios necessários. Mas voltando aos poucos. E vou dar trabalho, pode escrever.

      Curtir

      Responder

  9. Citando Cecília Meireles “Eu canto porque o instante existe/ e a minha vida está completa./Não sou alegre nem sou triste:/sou poeta.” E então a poesia se fez imagem.
    Publicação deliciosa.

    Beijo ternurento.

    Curtir

    Responder

    1. Clau, pode se servir a vontade. O que não vai faltar nunca é gente legal como você, a motivar o cozinheiro

      Curtir

      Responder

  10. Encontrar um canto que seja só meu canto de refugio e liberdade.. Ah sonhos…

    Curtir

    Responder

    1. Os sonhos são as sementes, Lola. E a colheita é obrigatória, hum?

      Curtir

      Responder

      1. Pois é espero que este período não seja a minha colheita, e sim o do semeio…
        Beijos e oh, já estava com saudades de vc.

        Curtir

        Responder

        1. Tenho vindo menos, por conta de compromissos da profissão, mas sigo e estou de olho. Beijo pra ti, Lola

          Curtir

          Responder

        2. É sempre de semeio, Lola. E você merece colheitas maravilhosas

          Curtir

          Responder

  11. Meu canto hoje é esse pedaço de mundo no sem fim de minha existência dizendo ruídos alheios! Tudo tão breve. rs

    bacio

    Curtir

    Responder

    1. Eu adorava os doces, soltar pandorga (pipa ou arraia), carrinho de rolimã, romã e roubar goiaba no pé.

      Curtir

      Responder

  12. Um cantar que ecoa o sons do coração,belo teu canto

    Curtir

    Responder

    1. O canto é nosso, a beleza mora no conjunto o que, alías, forma o canto da gente

      Curtir

      Responder

  13. O poeta gaucho, mestre, amigo, primo irmão, antigamente um cronista, segue os passos do poeta paranaense, que também de concisão em concisão, tornou-se um poeta.

    Falamos, é claro, de Dalton Trevisan, e seus contos minimalistas, que parecem haikais. 8-)

    Curtir

    Responder

    1. Trevisan, então? Pronto, dia ganho. Você é um querido

      Curtir

      Responder

  14. Trago meus cantos comigo.

    Curtir

    Responder

    1. Esse é o meu canta. Gosto quando alguém se refere assim ao lugar onde mora. Existem pessoas que são samba canção, canções de saudade ou de protesto. Quando olho pra você, tentando te ver e escutar, vejo e ouço alguns cantos de tinta forte, outros de saudade amena, um cantinho triste aqui e ali e cantos del quem sabe deixar a bainda passar. Boa semana.

      Curtir

      Responder

  15. Michele Viviane Vasconcelos 9 de março de 2014 às 4:18 PM

    Canto só nosso, em todos os sentidos da palavra, é o que todos buscamos. Mas, às vezes há “interseção”. Às vezes, dividimos o mesmo canto. E, o canto só seu, vira nosso. Como acontece agora com sua belíssima e criativa postagem. Abs Mariel!

    Curtir

    Responder

  16. Michele Viviane Vasconcelos 9 de março de 2014 às 3:59 PM

    Canto só nosso, em todos os sentidos da palavra, é o que todos buscamos. Mas, às vezes há “intereseção”. Às vezes, dividimos o mesmo canto. E, o canto só seu, vira nosso. Como acontece agora com sua belíssima e criativa postagem. Abs Mariel!

    Curtir

    Responder

    1. Nossa postagem, nosso entendimento, nossa troca: é o que nos toca, esse infinito momento. Super Semana, Michele. Das boas, das bambas, das nossas.

      Curtir

      Responder

  17. Canto-voz? ou canto-esconderijo? Som ou espaço? Acho que procuro os dois. Um canto pra estar em silêncio, um canto pra soltar a voz.

    Curtir

    Responder

    1. Quem procura, encontra. E encanta. Super semana, comadre. Tô de olho

      Curtir

      Responder

      1. E por falar em saudade
        onde anda você?
        onde andam seus olhos
        que a gente não vê?

        hum?

        Curtir

        Responder

        1. Sempre está. E como é legal esse vídeo!

          Curtir

          Responder

          1. Andas econômico nas palavras, compadre. E, não sei você, mas quando não dou conta de dizer é porque a coisa é maior que eu, pesada, por isso fica no fundo, se recusa a sair, acha tudo tagarelice. Ou é só falta de tempo mesmo? Ou tá fazendo charme? hum?

            Curtir

            Responder

            1. Pois sabe a economia das palavras não quer dizer refluxo de afetos, certo? Apenas olhando mais do que falando, vivendo mais do que escrevendo, e me encontrando mais do que me perdendo. Dá trabalho, mas ninguém disse que seria fácil, hum?

              Curtir

              Responder

  18. “Teu canto
    encanta
    meu canto.”
    — Monize Ribeiro.

    Curtir

    Responder

    1. Ohhhh, teu comentário, nesse nosso cantinho também

      Curtir

      Responder

  19. Para seres sociais ou que de alguma forma se desenvolve no seio da sociedade, seria impossível encontrar um canto só seu, nos dois sentidos. Mas como a vida é feita de paradoxos, busquemos a transformação e apropriação do que nos é dado socialmente, transformando em conjunto com a parte que nós é dada a priori em uma identidade só nossa.

    Bons Cantos!

    Curtir

    Responder

    1. Falou como o que é, um conhecedor das coisas do meio. Quanto à transformação e se entendi o que tu afirmas, busca-la é uma obrigação diária. E que pode ser divertida, se fizer parte da nossa identidade, hum?

      Curtir

      Responder

      1. Eu não diria conhecedor, mas observador. rs
        Sim, acredito que a vida é um processo de busca por significados e identidade, (embora não se resuma a isso) por não termos certezas sobre os motivos pelos quais estamos aqui ou existimos. Como já estamos por aqui, façamos dessa existência e/ou busca por significados o mais prazerosa possível.

        Curtir

        Responder

        1. Vamos aos prazeres, aos significados, aos motivos. O importante é ser enquanto se está

          Curtir

          Responder

  20. Em vários cantos se ouvem cantos encantados…
    Belíssimo, Mariel!

    Curtir

    Responder

  21. Tenho apego por cantos, mas quando se trata de ouví-los, gosto do som da liberdade.

    Curtir

    Responder

    1. É um som proibido nas ditaduras. Portanto, um bom som, hum?

      Curtir

      Responder

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s