Mariel Fernandes

Vistas do meu Ponto

Cheiro de terra molhada

colunaComeça do nada, o tempo seco, a terra inerte e cheia de pó. Primeiro, a brisa chega (leve, dançante e alegre, como as almas amantes). Em seguida, acontece um encontro inexplicável. É a saudade, até então exilada no céu, que se lança ao chão que só conhecia -até ali- o pó e nisso acreditava. O que ocorre é o encontro dos contrários, libertando o silêncio da escravidão das palavras. É um momento oceânico, gota a gota. Uma conversa entre a vida e seus extremos. Acontece naquele momento em que a chuva ainda não começou, mas já é chuva. Ocorre na precisa hora em que a terra recebe um líquido inesperado e agradece, num sorriso só aberto aos atentos de todos os sentidos. Quando a água toca a terra, nasce algo que é a soma das duas. É uma canção, um presente, a calma vestida de urgente, o eterno do amor revelado num instante. Uns chamam de chuva. Eu chamo de sempre.

Anúncios

112 Responses to “Cheiro de terra molhada”

    • marielfernandes

      Magia mesmo, essas que dão vontade de abraçar nossos queridos, magia mesmo são esses momentos de encontro e compartilhamento que gente como você me dão a alegria de proporcionar. Muito, muito grato.

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
    • marielfernandes

      Helen, “inocente” é o um elogio emocionante e que posso te garantir, me emocionou no instante da chegada. Textos dizem coisas a respeito de coisas, mas escondem sensações, experiências e significados até mesmo de seus autores. O perfeito, credito a tua generosidade, mas o inocente, tu não tens a menor ideia do quanto acertou.

      Curtir

      Responder
  1. filosofaresidente

    Que lindo texto. Uma verdadeira homenagem à chuva. E eu que gosto tanto destes dias. :)

    Curtir

    Responder
  2. bianaoliveira

    Que linda descrição. Senti até o cheirinho da terra. Como eu gostaria de guardar esse cheiro em um vidro pra que eu pudesse sentir sempre e sempre. Obrigada por esse momento!

    Abraços,
    Fabi

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  3. Clau Assi

    Ué… cadê?? Nada de novos textos aqui??? Só não tenho crise de abstinência porque releio…. releio…releio… e passeio pelo face…. inicio a campanha ” volte Mariel”

    Curtir

    Responder
    • marielfernandes

      Querido, você disse tanto e tudo sobre tudo e tanto que não sei direito como comentar o comentário. Então me ocorreu que se te deu essa sensação, posso colocar o sentido na coluna dos créditos. Super abraço!

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
    • marielfernandes

      Salve, salve querido André. Estive lá, reforma completa. Temos um site com vista pro mar, churrasqueira na sacada, um luxo. O conteúdo é bom como sempre. Já cravei seguir lá nos comandos. Parabéns.

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
  4. Vanessa

    Ai, que lindeza! Eu AMO cheiro de terra molhada, e esse seu texto me fez sentir uma saudade danada desse cheirinho. O calor Senegalês do Rio sem chuva está sendo difícil demais. Ainda bem que dá para relembrar coisas boas passando aqui. :)

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
    • marielfernandes

      Fico imaginando você no Rio, um calor de 2 dígitos na cada dos 40. É, não há como não gostar do cheiro de terra molhada. No mais, que comentário gentil, Vanessa. Big obrigado.

      Curtir

      Responder
  5. Silvia Orchidea

    Mariel, com vossa licença…Fora do assunto , mas dentro do belo… visitem o blog Filosofia Botequim, da menina portuguesa Catarina.
    Uma Lisboa fotografada com olhos ternos…
    Um bom dia :-)
    S O.
    Rio

    Curtir

    Responder
  6. Silvia Orchidea

    Melhor (ou pior) para quem chegou e se encontra no final da fila…foram tantos salamaleques que nada me restou a não ser dizer: gostei…

    No adiantado da hora há de se fazer uma reflexao…respondo ou nao? O til? Fugiu … :-)

    Curtir

    Responder
  7. marah Sant'Ana

    Que texto lindo, tem que ter muita sensibilidade pra descrever uma coisa tão simples, como o momento em que a gota da chuva toca o solo, de uma forma tão bela ———

    Curtir

    Responder
    • marielfernandes

      É que o aroma é algo inconfundível e a cena, big especial não acha? O que tendo é descrever bem. E que gentil você, o mundo anda precisando mesmo de filtros generosos. Super valeu.

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
  8. Anônimo

    Janeiro!!
    Passando pra desejar que o ano seja de muita poesia e brisa.

    Beijo ternurento
    Clau Assi

    Curtir

    Responder
  9. Valéria Miguez (LELLA)

    Caríssimo Amigo!

    Eu que amo a chuva, e que por ela também esse cheiro de terra molhada… Ganhei o dia por esse olhar poético! Sim! De querer ler e reler!

    E…

    Eu tinha programado para o dia 31 visitar os blogs amigos com mais tempo, mas como explico aqui: https://cadeiranteemprimeirasviagens.wordpress.com/2015/01/01/virada-do-ano-com-um-apagao-de-quase-9-horas/ não deu. Assim, uma passada rápida para desejar:

    Um Feliz 2015 com muita inspirações!

    Beijos e Flores!

    Curtir

    Responder
    • marielfernandes

      Eba, Val, que bom você por aqui. 9 horas sem luz? Bom, deixei um comentário lá, desejando isso, luz. Algo que nos ilumine os caminhos, as decisões, os votos. Adorei tua visita, gosto sempre. Flores e beijos então.
      Grande (e iluminado) 2015, querida.

      Curtir

      Responder
  10. alinesagitario

    ‘É um momento oceânico, gota a gota. Uma conversa entre a vida e seus extremos’. Maravilhosa analogia… Felizes festas!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  11. Robson Joaquim

    Quem nasceu no sertão como eu, sabe que este presente é um privilégio, um momento mágico que somente aqueles que tem os sentidos apurados para todos estes ‘milagres’ da vida, sabe o quanto o coração se enche gratidão. Obrigado por dividir em tão belas palavras este momento mágico conosco. Um abraço!!

    Curtido por 1 pessoa

    Responder
  12. Clau Assi

    Olha que coisa!!! Chove torrencialmente aqui… leitura enviada pelos céus… quando o texto nos fala à alma nos fala mesmo…com chuva, trovoada, cheirinho bom de terra molhada.
    Obrigada pela leitura…que a terra germine, que as plantas vibrem, que São Paulo seja mais verde e que a poesia escorra não em águas, mas em palavras que você sabe tão bem usar. Beijo ternurento

    Curtir

    Responder
    • marielfernandes

      Torrencialmente é uma notícia boa agora, não Clau? Adorei, do início ao fim cada palavra dita. Teu entusiasmo preparou minhas terras para grandes colheitas, o que sempre precisa de água da boa

      Curtir

      Responder
    • marielfernandes

      Michele, te agradeço big feliz, de coração leve e de alma pulandinha. O pink, confesso, foi meio obra do acaso achei bom, mas não foi unanimidade aqui em casa. Não sei se tenho como responder as coisas ali e apontar blogs seria um sofrimento só: leio, mesmo, assim de fio a pavio, muitos. Em alguns comento, noutros interajo de outras formas, então vai ficar uma sensação de uia esqueci esse ou aquele. Caso eu não consiga responder, quero te dizer que fiquei imensamente honrado com a tua lembrança. Muito mesmo.

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
    • marielfernandes

      Carol, o aroma é inconfundível. Normalmente, é acompanhada de uma brisa leve. De fato, uma delícia que merece o amor de todo mundo. E se ganhou o seu, o texto ganhou o dia!

      Curtido por 1 pessoa

      Responder
  13. Aurea Cristina Szczpanski

    Ô, Mariel, tudo novo por aqui e eu, desavisada, relapsa que sou, nem sabia… e, quando venho, dou de cara com um desbunde destes: prosa transpirante de poesia! Texto lindo! Bom de ler e reler depois, com mais (c)alma… Abraço, compadre!

    Curtir

    Responder
  14. Roseli Pedroso

    Momento em que prendemos a respiração…
    E depois solta de vez num gozo de emoções que despertou em tão poucas palavras. Também amo esse cheiro e, morando numa metrópole onde somos rodeados por concreto e piche, como nos faz falta!
    Grata por me fazer relembrar através de tão belo texto!

    Curtir

    Responder
      • Gustavo Roubert

        Terra desmolhada é coração desamado.

        Parabéns pelo belo texto. Paz e uma chuva de abraços.

        PS: Sei não, Mariel… Acho que plagiarei a sua criatividade, mas, em vez de adotar comentários, a minha impaciência umbilical vai passar a sequestra-los.

        Curtir

        Responder
        • marielfernandes

          Tu não pareces impaciente Gustavo. Sequestros são bem-vindos, entra que a casa é dos amigos. Chuva recebida e mandada de volta, com juros dessa nossa inflação enlouquecida.

          Curtido por 1 pessoa

          Responder

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: