Mariel Fernandes

Resultantes

Captura de Tela 2016-09-01 às 20.33.37

 

Viver é artesanato. Algo feito de gestos (nem sempre pacientes) moldando o cotidiano. Não há vida em série, nem linha de produção para a existência. Somos individuais, não podemos ser compreendidos separados de nós mesmos. Posso descrever a saudade que sinto. Lembrar teus gestos. Lamentar as solidões ou comemorar em mim o que me trazes. E ainda assim, tudo que te chegar, por mais que te toque, será outra saudade, outro gesto, outro silêncio e outra comemoração.

Viver é tradução. Algo feito de falas (nem sempre sábias), dialogando com os dias. Não há declaração definitiva. Nem existe entendimento coletivo sobre o que quer que seja. Parece que a ilusão é o que temos de mais real. Infinito, dito, não dito ou simplesmente omitido, o que entendes não depende do que digo. Mesmo assim, depois da tua chegada, será outra palavra, outra lavra, outros caminhos, outros baús e outros pergaminhos.

Viver é desenho em todos os seus riscos. Não há manual confiável, devoluções são impossíveis e o entendimento sobre origem e destino é precário. Estamos por nossa conta, à bordo de uma gordinha apaixonada pelo sol. Irá manter-se assim, nem tão perto que morra por excesso de calor, nem tão longe que desapareça em dias de frio.

Viver é entendimento. É a permuta entre o eterno e o momento, um desfile de imprudências, a mistura de experiências, o resultado de milhões de escolhas. É uma ponte, um instante, um exagero. De qualquer modo, teremos outros experimentos, outras passagens, outras viagens e outros finais. Somos humanos. São nossas diferenças que nos tornam iguais.

Anúncios

80 comentários sobre “Resultantes”

  1. Mariel, estou encantada com seu texto. Levei-o para a minha página no FB. Merece milhares de leitores. Na minha página ganhará uns dez, espero que eles se multipliquem. Muito grata pela delicadeza e sensibilidade. ” Viver é artesanato”, Bjnh

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mariel, nos perdemos nas palavras exatamente por sermos humanos. Entendo nisso a semelhança e por isso só se basta. Não seriam as palavras que nos tornam iguais, penso eu, talvez os sentimentos, os quereres. Palavras vão-se com os ventos e já que podemos citar poetas, Fernando Pessoa deu uma assertiva em Autopsicografia.
    E eu te deixo meu bah,
    Não sei muito o que dizer,
    Passei apenas a visitar,
    O que fazes bem, o escrever,
    Me sacio na profundidade do entender,
    E entendo onde pretendes alcançar,
    Mas seu amigo aqui não é totalmente humano,
    E na escrita só vem atrapalhar,
    Gostaria muito de entender a vida,
    Poder assim te afirmar em todas as letras,
    Mas me falha muitas vezes a memória, a razão,
    Me perco nesse cenário da literatura,
    Me preencho com as experiências descritas,
    E tento traze-las para dentro de mim,
    Tornar-me humano enfim.

    Todo mundo vem, todo mundo passa, eu passo aqui também, atrasado, meio sem jeito, mas meu carinho, você o tem por direito. Abração Mariel! :)

    Curtir

    1. Mas que coisa boa. Acabei de ver tua mensagem super carinhosa e isso foi um grande início de semana pra mim. Eu descrevo, sempre digo isso. É uma forma de contar o que vi, ou vivi. Acaba me acalmando. Adorei tua visita, me fizeste bem. Grato, de coração.

      Curtir

  3. Estou pelo celular que é pequenino para se encaixar na mão esquerda já bem atrofiada… Dai voltarei quando do computador para ver a foto com mais clareza… Do que enxergo daqui… Achei instigante…

    Primor de texto!

    Gosto principalmente das pontes que ligam as diversidades… Me faz sentir que tenho um lugarzinho aí na sua amizade 😊

    Beijos e Flores,
    ——<@

    Curtir

  4. Viver…, é muito mais além de vivências efêmeras, é um fazer parte de experiências fundamentais que constituem a dimensão trágica do existir humano. Linda a ‘ilusão’, que na subjetividade humana, quando confrontada com a realidade, não é apenas negada ou destruída por ela, mas pode ser também redimensionada, e, enquanto tal, pode adquirir um novo sentido. Ela deixa de ser enganadora e torna-se poética, ela adquire uma capacidade criativa no campo do acontecer. Papel fundamental na constituição da subjetividade criadora de sentido a que se consagra o homem para construir o tempo de sua existência no mundo. ViVeR é único, insubstituível e intransferível! Vamos viver querido! <3 Bjs Bjs

    Curtido por 1 pessoa

    1. Que convite mais querido! Vamos viver. Mas não sem antes reconhecer esse talento capaz de unir o efêmero da moda ao interminável que é a capacidade de pensar de um jeito muito além do que foi dito ou, no meu caso, descrito. Que honra.

      Curtido por 1 pessoa

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: