16 horas em ponto

Cheguei como sempre chego, meio feliz, meio trôpego. E ela me recebeu como sempre, entre sorridente e ventante. Há um momento decisivo em cada encontro, um instante antes do abraço. É quando ela sacode as folhas de saudade e eu me alegro de ter uma árvore que amo e que gosta de mim desde a raiz.

Autor: mariel

" Não quero viver comigo tempos mortos ". Essa tal de Simone, ela não é uma coisa?

2 comentários em “16 horas em ponto”

    1. Vc sabe como é? Essa árvore é algo. De cara, tem vista pra um tipo de lago que é uma beleza. Às raízes dela formam um tipo de banquinho, onde me sento, coloco os braços como numa poltrona, então leio, escuto, penso, lembro e até durmo. Bom? Demais de bom

      Curtir

Os comentários estão encerrados.