A Invenção de Hugo Cabret é um filme que não vi, baseado num livro que não li e que alguém fez o favor de me guiar em direção ao mundo civilizado, me apresentando à obra. Quem me conhece, sabe que leio de tudo. Bula de remédio, folheto de imobiliária, Bíblia, Cartas ao Amor Distante, Gibis, (adoro Asterix, por exemplo. Mafalda, quem não?), livros, livros, livros, manuais, dicionários, avisos em elevador, jornais, revistas, livrões, leituras me encantam. Entrar em território desconhecido como a Invenção de Hugo Cabret, não tenho dúvida: será estar um pouco conectado a um espaço portal, onde o tempo não importa e sim o fato de alguém ter estado ali ou ali permanece. Sem precisar pensar muito, me dou conta que te conto como quem conversa tudo o que se passa comigo. Não sei se percebes citações, declarações, convites, há muita possibilidade interpretativa em silêncios alongados, como aqueles ruídos da estática, comuns nas transmissões dos rádios amadores e “amadores” foi uma insinuação luxuosa. Ainda assim, junto aqui e ali um sinal e faço disso um pedaço de lembrança, um círculo de confiança, um anel, uma aliança e sigo deixando meus rastros pelos caminhos onde passo. São dias felizes, não há dúvida e (espero), aproveitados com a alegria de quem semeia, de quem pedala, de quem escreve e de quem conhece (ou quer conhecer) belezas como A Invenção de Hugo Cabret. Como sempre, farei isso um tanto com você e repartindo com quem me lê um pouco das delícias que vivo. Aceita um domingo amarelo de sol? Queres um texto de Drummond ? Abre um portal? Quem sabe caminhamos descalços no quintal? Talvez a gente acorde mais felizes de manhã. O que quer aconteça, será bom de ver, de ouvir ou de contar, tirando o fato de não haver qualquer lembrança de muros. Imagina a vista, querida, imagina a vista.

O presente de hoje é declamado por Roberto Carlos, direto de Drummond.

Anúncios

20 respostas para ‘É sobre você

  1. Confesso que não vi o filme, mas uma das partes que mais gosto do livro é:

    “Gosto de imaginar que o mundo é uma grande máquina. Você sabe, máquinas nunca tem partes extras. Elas têm o número e tipo exato das partes que precisam. Então imagino que se o mundo é uma grande máquina, eu também estou nele por algum motivo. E isso significa que você também está aqui por alguma razão.”

    Acredito firmemente nisso!

    Curtido por 1 pessoa

      1. Agradeço imenso a disponibilidade, mas descobri que a maravilhosa biblioteca do concelho onde vivo tem disponível gratuitamente o livro e também o DVD do filme.
        Este, realizado pelo Martin Scorsese, passou em 2011 em Portugal com o titulo “A invenção de Hugo”. Brevemente irei requisitá-lo à biblioteca para o ver, pois prefiro primeiro ver o filme.
        E depois, talvez ler as 530 e tal páginas do livro…
        Um bom domingo!

        Curtido por 1 pessoa

  2. Descalço no quintal me faz lembrar a infância onde minha lambreta era minha moto da justiça (Vigilante Rodoviário) a “magrela” fui ter mais adiante quando a imaginação me deu além de emoções, muitas cicatrizes, (Evel knievel).😀

    Curtido por 2 pessoas

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.