Lume

Existem teses pra tudo. Explicações razoáveis para existências ou ausências. Especialistas explicam os vazios espaciais, buracos negros e gols do Inter. Não teço nesses fios, meu alcance é ali, onde consigo chegar de bicicleta. Uma vez me contaram sobre o efeito de um passeio ciclístico, a alegria que é e qual e causou. Ouvia a descrição endorfinado, encantado, feliz. Era sobre o vento, a paisagem, o movimento, os aromas. Há um tratado sobre isso? Há. Com figurinhas, testes e pesquisas de Harvard confirmando tim tim por tim tim com infográficos multicores. O ponto é que me parece vã a tentativa de explicar ou entender o que te causa o suco de laranja, porque se gosta do azul ou que delícia de assanhamento aquele tom de voz propicia. O que nos aproxima, como determinado sentimento se impõe, resistindo ou ignorando tempo? Há estudos sobre o tema? Anrãn. E são divertidos, com testes, figurinhas e pesquisas da USP, tudo esclarecido com simbolos, a matéria prima dos portais. Mas importa menos a explanação dos motivos ou o alinhamento das sinapses e chakras. Mas mas não se apresse pensando que estou apoiando a volta das trevas, negando a ciência ou vivendo de luz. Estou só falando que acredito que possam haver figurinhas, testes, teses, antíteses, normativas, regulamentações, desenhos, power points, documentários, testemunhais e a o sentimento bom que o cheiro de terra molhada inspira. Que existem explanações neuronais, caminhos espirituais, textos e reportagens diversas sobre o que sentimos. São leituras deliciosas, palavras lindas e um conhecimento gostoso de se adquirir. Mas nada, nadica, nadinha de pitibiriba precisa me explicar o que nos torna cativados. Por mim, o que me ilumina não me deve explicações.

Autor: mariel

" Não quero viver comigo tempos mortos ". Essa tal de Simone, ela não é uma coisa?

15 comentários em “Lume”

      1. Pera, pera, pera. você não é minha amiga além-mar. Confundi. Coisa de ciclista apressado. Mas a amizade continua firme.

        Curtir

    1. Elaine, minha amiga além-mar. Fico tipo muito feliz, mas isso não te isenta de andar de bicicleta: aí é mais fácil do que aqui, como não diria Camões.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Hahahahah… Mariel, bem que eu queria, mas eu preciso de uma parceria de estímulo pra encarar uma pedalada.
        Aliás, já tem tanto tempo que não pratico que teria q reaprender.
        🙈🙈🙈

        Curtir

        1. Bicicletas são inesquecíveis, não vem com desculpinha. E a própria bike serve de parceria. Então, é já pro pedal e não se fala mais nisso

          Curtido por 1 pessoa

  1. Exato! Pra que tirar a alegria de simplesmente sentir tentando explicar através do racional? Sou totalmente emoção. Que me desculpem os teóricos e estudiosos mas sentir é sentir e ponto final. E falando em sentir… Terminei de ler seu texto com um sorriso se desenhando em meu rosto cansado. Obrigada!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Roseli, claro que pesquisas, tratados e especialistas não tiram alegria de nada. Mas ler algumas coisas que os cientistas produzem tiram o tempo de andar de bicicleta, o que é imperdoável, mesmo cientificamente falando. Meu texto está feliz por te fazer descansar. Mas atenção: isso não substitui a esteira.

      Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão encerrados.