Bom findi

Aos amantes o tempo passa devagar se distantes e é um raio, um zapt quando juntos. Abre o dia que embrulhei em papel graft, está ali, desenhado um sol quadrado que sorri. Repare, a casinha tem chaminé e uma árvore de uva japonesa em frente. Dá uma fruta ardidinha, você precisava conhecer a criança que falava com ela, escondida entre seus galhos, voltando do colégio. Atento ao tanto que há pra contar, tento manter a conversa animada e te levo no bolso, polegar. Também cuido da temperatura e faço o possível para narrar o que se passa, pode me pedir mil léguas submarinas, meu coração de vidro te dá, menos o que não há, como meu amor passar. A raposa, a rosa, o pequeno de Exupéry não te contaram nada? Não é como enfeitou Vinícius, tipo eterno enquanto dure. Está mais pra Eu Sei Que Vou Te Amar. Dizem os mestres do oriente, os mouros dos desertos e o Menino do Dedo Verde, toda sede é saudade de rede e de ninar as coisas que sonhamos para que acordem.

Autor: mariel

" Não quero viver comigo tempos mortos ". Essa tal de Simone, ela não é uma coisa?

Uma consideração sobre “Bom findi”

Os comentários estão encerrados.