Tipinho

Pra chegar aqui, tive que me despedir de infâncias, lembranças e mil vidas possíveis. Aconteceu aos poucos, nem sempre soube de antemão o que viria ao meu encontro ou quando. Não digo que faria diferença, já que viver é minha marca de nascença. Acho que isso jamais será calmo em existências onde as essência valham o tempo investindo. Houve uma vez que me perdi tão longe que nem me reconhecia nem desejava o reconhecimento. Mas foi ali que me desfiz, me abandonei e, por isso mesmo, me salvei. Noutra hora, em estupefata admiração do nada num deserto, do nada me cobri e com o nada me senti completo. Cheio de um amor por peixes e pedras, aragem e cheiro de terra molhada. Foi o que te trouxe de mim, as minhas buscas sem bússola, as canções em sala diminuta. Não é possível lembrar do calor escaldante de lugares em que você não esteve antes. Por isso não tenho escritos não vividos. Estou estando, sou sendo e vivo vivendo. O meu lugar no cosmos é ao teu lado, onde assisto Friends sem incomodar os Ciclopes e à salvo em uma ilha histórica. Meu desejo mais profundo? Viver na parte simples do dia. ***

2 comentários

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.