Não somos um. Ufa.

Às vezes preciso te manter longe das minhas tristezas. Não para que não as vejas. O motivo tem pouca nobreza e é, mesmo, de outra lavra. A palavra certa é que elas não são tuas. São amigos ou inimigos invisíveis, me acompanham há tempos, como dizes. Só serão alegria, um dia, se atravessa-las em busca não de ti, mas de mim. Não podes me tirar nenhuma, como não conseguiria com as tuas. Posso compartilhar olhares ou beber da mesma água. Conversar sobre o que ouço e trocar abraços intermináveis desse nosso encontro no sempre. Podemos diminuir dores um e outro e de fato isso acontece comigo. Também é plenamente possível supor delícias, imaginar caminhos e mesmo percorre-los lado a lado, contando o que vemos um ao outro. Tendo um ao outro e amando outro e um. Mas viver é particular, feitio e modelo pessoal, não há nada de estupendo nessa conclusão. A não ser, certamente, o próprio entendimento sobre o quem sou eu, o que és tu e o nós que construímos juntos.

Uma das ideias do amor romântico é a da fusão. O dois que se transforma em um e toda lorota subsequente. Siameses afetivos dividindo um cérebro, uma conta bancária, um controle absurdo de um e de outro sobre o outro e o um, com a participação especial do ciúme. Mais chato, só cinema da Nicarágua. Além disso, qualquer coisa que se encaminhe para a despersonalização atrairá a força do ego em defesa do indivíduo, função principal desse instrumento da psique. É uma luta onde o que há de possível no amor imediatamente se inviabiliza, mesmo que o imediatamente leve anos e anos. A lição disso é que ser obrigado (ou obrigada) por qualquer motivo a a qualquer coisa pode funcionar por um tempo, mas vai cair na secura da qual a obrigação é concebida. Mas se escolhemos, ah as escolhas. Se escolhemos, o jogo é outro. A liberdade da escolha, com os milhões de outros caminhos descartados, é exatamente isso que faz a diferença.

As escolhas revelam nossas prioridades e o que estamos dispostos a abrir mão. Mostra claramente o caminho que preferimos seguir por amor, responsabilidade, dívida, o que seja. Por isso, às vezes, preciso manter longe de ti as minhas tristezas. Elas são indivisíveis comigo, nem más nem boas. Parte de mim e mesmo das alegrias que tenha e espalhe, tristezas também me representam. E sinto isso em ausências fundamentais. Nos silêncios e exílios do tanto que pode ser e existir. Fazem parte. Geram lembranças. Trazem saudades. Se no meio de tudo causam dor, é porque ainda não aprendi a respeitar a escolha sobre o que não me cabe julgamento. No entanto, eis aqui eu. O observador. O assustado. O sentimento.***

8 comentários em “Não somos um. Ufa.

  1. “compartilhar” o que é? nos substituir aos olhos do outro? trocar processos sinápticos? cada um permanece distinto mesmo quando é fusional. mesmo quando os contornos estão perdidos. compartilhar alegria e dor, cotidiano e hábitos leva à perda de controle sobre as percepções do outro, mas à aquisição de confiança nas percepções do outro. estamos sempre nus e às vezes sem pele. Não há nada de errado com isso.

    Curtir

    1. Nada de errado mesmo, mas não se trata de certou ou não certo. Nada é dual ou absoluto. O que tendo dizer é que a ilusão do amor “somos um” leva a despersonificação do outro. Ou seja: sem personalidade, esse outro vai morrer sufocado, na perda das características únicas que tinha, justamente o que nos atraiu para isso.

      Curtir

  2. Mariel, li o seu texto profundo em 2 dias diferentes.
    É tão profundo que escrevia e apagava o comentário.
    Não há ilusão no amor, mas no somos um. No entanto, em alguns momentos acaba por acontecer o somos um. Espero não ter feito uma contradição. Rsrs É algo q acontece com o tempo, longo tempo, qdo há amor. E aí vem a pergunta: o q é o amor?

    Curtir

  3. Saudações

    Excelente texto me fez lembrar o trecho de uma música que diz! O inverso de ser feliz é a certeza de saber que nem sempre temos respostas que queremos ouvir…

    Parabéns pelo post sensacional sucesso!

    Curtir

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.