Oh Oh Oh

Não sei como são feitos os milagres ou de que matéria-prima eles são constituídos. Apensas os ouço e me tocam quando os vejo, se experimento seus saborosos aromas e me esqueço dos sentidos, seja quantos forem.

Não pergunto para que servem as magias, alegremente me cansei das explicações. Apenas me assombro com a destreza hábil do mistério que transita aqui e ali, encantador e anônimo.

Não entendo como são possíveis certas maravilhas. Evito saber, perderia a graça, talvez. Apenas aceito que existem, me contento em te-los e os admirar na medida das minhas surpresas. Deixo que me cerquem com seus contornos e, então, me aquieto. É assim que fico perto e me adormeço. Olhando o rio que me esconde as pedras justamente para que as encontre.

Era para ser um conto de Natal, mas veio outra coisa. A praça do por do sol estava linda, sempre está. *** todos os dias.

Autor: mariel

" Não quero viver comigo tempos mortos ". Essa tal de Simone, ela não é uma coisa?

17 comentários em “Oh Oh Oh”

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.