Um pouco

Passeava muito com meu pai, um ser silencioso por natureza. Ele gostava de caminhar, de observar por observar e de se divertir com o silêncio da sua vida morena de um sol constantemente apanhado. Lembro de um gesto de carinho. Eu te amo acho que não escutei. Mas as caminhadas, as risadas profundamente ecoantes e aquele riso aberto, só o seu Norberto (com o perdão da rima involuntária) pra dar. Aquele sorriso era uma bênção, uma oração ou gosto de lembrar assim. Nos passeios (de barco, a pé ou na Chimbica, um Jeep DKW que tínhamos), era a festa do quem fala menos. Acho que meu des/crever começou ali nos silêncios dos não ditos, nos subentendidos, nos entendimento sublimares, nos textos escondidos entre os olhares trocados. Tenho horror a essa linguagem, a que dita tudo que não é permitido dizer. A que se supõe entendida, a que vive escondida, expressamente silenciada. Uma palavra, no entanto, é semente. Você planta um gosto tanto, um admiro isso, um que orgulho tenho, um vem cá, um se enrosca. Então nasce um eu te amo, um me perdoe, um foi engano, um vá com Deus. É no outro que nos construímos e a palavra é a testemunha disso. Como você cresceu. Nossa, está mocinha. Grávida? Passou? Que saudade…. Não chega tarde. Não vá tão cedo. Foi um prazer. É uma honra.

Vale o que está escrito. Ou às palavras restará o triste de ficar vivendo no dito pelo não dito.

Publicado por

Mariel

Vale o que está escrito

4 comentários em “Um pouco”

  1. Então, lembrança de pai, quem não as teria?
    Lembro de cada detalhe dele, cada interrupção para corrigir com uma sabedoria que jamais vi. Esse era meu pai. Tocava e gostava de uma boêmia, com violão e de preferência em noites de luar. Participei muito das cantorias noturnas que fazia com os amigos, enquanto as mães preparavam os petiscos. Era um tempo simples e de inocência, onde tudo era construído com argumentos. Sinto muita falta desses momentos, talvez seja isso o que chamam de saudades.😉

    Curtir

    1. Querido, quanto tempo. Desculpa a demora da resposta, mas ando assim, meio devagar. Definitivamente seu pai parece ter sido um sujeito especial. Já notou como tem boêmio de primeira qualidade? Combino pouco com noite e noitadas. Chamam de saudade sim, seu pai merece.
      Um abraço bem abraçado.

      Curtir

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.