Bunker

Quem estará nas trincheiras ao teu lado?
‐ E isso importa?
‐ Mais do que a própria guerra.

Você me acalma, alma, você me acalma. 

Ainda que me confunda (mar tem onda), 

mesmo assim, estamos de acordo que me 

acordas e não há nós nos amarrando 

a nada. 

Que eu te acalme, alma, que te acalme.

Ainda que te aponte os escombros

que te escondem a face, mesmo assim 

(ou por isso mesmo) nos tornamos 

residentes mútuos, moradores um do 

outro

Nos tornamos. 

Tornamos a nós. 

Sou casa, 

você vive

na morada. ***

Publicado por

Mariel

Vale o que está escrito

Estou adotando comentários. Deixe o seu aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.