Sede

Tem sede que é de Coca. Não de água, suco, cerveja, vinho, chopp, nada. Você pode ficar anos longe de uma, mas ao abri-la, é Coca. Você reconhece o gosto, tem prazer de toma-la, sente o refrescante que é, a alegria que se abre. Só lembre de uma coisa: essa Coca é minha e ela sabe disso.
Anúncios

Eu também

Te recebi com alma disparada, chegaste e tomaste o dia, o que acontece sempre. No fundo é simples, fácil e descomplicado. Uns dias enxergo longe teu ser amor. Noutros, percebo perto teu ser amada.

Entre

Na esquina de todas as ruas que vivo, há um artista que tece presentes improváveis. Um pacote de suspiros, uma lata de vontades, várias duchas de água fria, um pé de alegria, todo tipo de prece pra qualquer desejo pendente.

Entre em portas entalhadas por mãos habilidosas ou pelo tempo que as torna hábeis e estarás de frente pra todas as ruas onde piso descalço. Ali lembro de ti se faz sol ou quando chove um pouco, bem mirrado, um trapo de água doce, um naco fino de uma noite aguada, um veio dos diamantes azuis e seus brilhos silenciosos.

Já disse hoje? Já dei sinais, acendi fogueiras e subi na arvinha que a gente tem. O certo é que estou ali, onde parece que adormeço mas o que faço é vigiar a noite para alma que amo encontre o sol, brinque na rua e se quiser dormir, esteja tudo bem.

bom e cativante find

Sempre que vejo um campo de trigo banhado de sol, me lembro. São instruções precisas sobre cativar e se deixar afetar (no sentido de afeto). Acho uma das passagens mais lindas desse emocionante carinho disfarçado de livro. A foto tirei durante uma viagem ao interior, talvez de mim mesmo. Foi alegre, foi intensa e fiquei em paz por há muito tempo me deixar cativar sem que isso se tornasse um cativeiro.

Curiosidade líquida

A foto aconteceu no Quênia, mas perdi o nome do felizardo que fez o clique. A alegria está ali, intacta. Tem um chuá de criança. Há um refrescante momento que se molha. O corpo inteiro sorri. O motivo? Pode ser água brotando. Pode ser vida aguando. Pode um mergulho de cabeça na felicidade, um sim, um vem, um gosto, um rosto, uma voz, uma lembrança, um abraço misturando corpo, alma e a vida, tudo na temperatura ambiente.

Prometo

Começa a semana e lá vou eu te contar que se a rua fosse minha, eu mandava ladrilhar com pedrinhas de brilhante para você passar. E assim que isso acontecesse, te diria que se roubei o teu coração, tu roubaste o meu também.

O presente de hoje é a lembrança do quanto a inocência surfa no tempo, qualquer tempo e o tempo todo. Muito, sempre e tanto: é assim.