Um conselho e ótimas lembranças

Um conselho e ótimas lembranças

DA do Ricardo, eu na dir de criação e (tenho quase certeza) texto do Sulivan. A marca (note como os dois pinhões foram o número desejado) ficou muito legal também.

Um conselho e ótimas lembranças

DA do Ricardo, eu na dir de criação e (tenho quase certeza) texto do Sulivan. A marca (note como os dois pinhões foram o número desejado) ficou muito legal também. A produção foi do Darci e o tratamento do Ricardo. O atendimento estava à cargo do Murillo.

É assim que se faz

Redator, Sulivan, com o Ricardo na DA, eu na dir de criação e produção do Neto. A agência? Visão. O modelo foi devorado depois da foto. Mentira. A gente foi na churrascaria (que é uma delícia) e mandou ver.

Vera, Vida e Afece

Afece. Toda a vida é especial.

O roteiro é meu e da Vera Holtz, com DA da Gabriela Mombach. A produção eletrônica foi feita pelo Nicola e a produtora é a velha e boa Soft. Quem aprovou o comercial foi a Grazy Prezutti. Dá uma olhadinha (clicando no titulinho aí em cima) e se puder, entre em contato com a AFECE (Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial) para conhecer o trabalho.

Ouça o bom Conselho

O título é de Mariel Fernandes, a DA foi feita pelo Danilo Olympio. O atendimento foi realizado pela Katia Barbieri. O CRBio é o Conselho Regional de Biolologia do Paraná. Pediu a peça para reforçarmos que aquele era o dia certo para lembrarmos da proteção que os animais merecerem.

A banda mais fiel da cidade

Sulivan foi o redator, com o Ricardo na arte. Mariel Fernandes o dir de criação. A produção ficou por conta do Darci e o atendimento aos cuidados da Tereza. A ideia foi lincar a fidelidade dos ouvintes com a imagem do fone de ouvidos, cujo fio se transforma em aliança. Clique na imagem para ver mais detalhes.

Cannes é ali

Direto do www.blues.com.br (que mostra matérias interessantes)

Depois de trazer Sir Ken Robinson no ano passado para o festival de Cannes, a Ogilvy convidou o filósofo Alain de Botton esse ano, dentro do projeto Ogilvy & Inspire. Funcionou. De Botton falou de arte, propaganda, capitalismo, sucesso e fracasso, sempre utilizando exemplos de outros pensadores, de Epicuro a Nietzche, prendendo a atençao da platéia com um discurso bem humorado e sem ajuda de nem um slide de powerpoint.

O filósofo disse que a arte, quando tem qualidade, nos recorda coisas boas – Quando você ouve Paul McCartney cantando ‘Hey Jude’, você lembra da importância de ter alguém para amar” – exemplificou. Segundo De Botton, a publicidade deveria fazer a mesma coisa. Mas nem sempre isso acontece, porque o capitalismo, na opiniao dele, falha na tarefa de atender as necessidades mais importantes das pessoas. Outro ponto abordado por De Botton foi o medo de errar – “O sofrimento faz parte do processo criativo. Nietzche odiava o álcool e o cristianismo porque achava que ambos abreviavam o sofrimento das pessoas. Se voce nao estiver preparado para falhar, nunca será bem sucedido”, ensinou à platéia.

Uma boa ideia a gente não deixa estacionar

O dia em que a catraca falou

O cliente foi o Shopping São José. Grazy Prezutti, Anderson Pinna e eu, os profissionais que planejaram, operacionalizaram e efetivaram a ação de guerrilha. A produção ficou a cargo da Carol e do Lennon.  

O dia em que a catraca falou

Quem nunca falou uma catraca? Eu sempre comento algo como “hoje vou comprar um monte”, ou “Você não vai me tirar um real do bolso”, entre outras coisas. Foi o que inspirou a tripla criativa, que na época trabalhava na Savannah. O cliente foi o Shopping São José. Grazy Prezutti, Anderson Pinna e eu, os profissionais que planejaram, criaram, operacionalizaram e efetivaram a ação de guerrilha. A produção ficou a cargo da Carol e do Lennon.  Para ver, clica ali em cima, (o dia em que a catraca falou) e veja a seleção de alguns momentos.