Page 2 of 49

E se formos formados também de um tempo criado, estabelecido por trópicos, linhas, movimento solar? Então talvez cada um de nós tenha um horário próprio, interno, indiferente do segundo passante, do minuto restante, dessa gente que tic tac tic tac tic tac e passa. Quem sabe quanto mais próximos (ou distantes) do paralelo 30, tu […]

Existem 37 vulcões no polo, todos cobertos por gelo e mais gelo. Aprendi isso dia desses e me perguntei pra que aprendia isso dia desses, pra que serve saber, envolto em frio próprio e dores improprias, pra que serve saber que existem 37 vulcões na Antártica, todos coberto de gelo. Deve ser péssimo ser um […]

Do nada, o fone informa 3 ligações perdidas. Lotado de remédio para manter a falta de lucidez, ela ou ele não sabe mais quem é ou são, nada é ou são, ouçao, a tontura é permanente, as paredes são brancas, a pirula de dormir, rosa. Perdeu-se em ligações esperadas, escondeu-se de visitas impróprias e do […]

Sobre Silvio Rodrigues tenho pouco a falar. É um poeta, o que se sabe dos poetas? Mas esse cubano tem algo, ah tem. Ele é dos bons, desses capazes de falar de coisas como o amor ou liberdade alargando o conceito, a percepção e o próprio senso comum sobre o tema. “A Quem Merece o […]

— Amas-me? Perguntou Alice. — Não, não te amo! Respondeu o Coelho Branco. Alice franziu a testa e juntou as mãos como fazia sempre que se sentia ferida. —Vês? Retorquiu o Coelho Branco. Agora vais começar a perguntar-te o que te torna tão imperfeita e o que fizeste de mal para que eu não consiga […]

Sobre ele, dizem que nasceu no campo. Solto, livre, balançante, um sonhante de passagem, uma paisagem, uma canção criança. Falam por aí, entre assobios e olhares que se cruzam sorrindo, que foi nada menos que o próprio amor assina sua concepção espontânea, como se a vida simplificasse a si mesma, precisando apenas disso, algo entre […]

Não falo da morte, essa coisa sepultante e triste pelo que causa em nós. Penso naquilo que morre e morrendo, deixa de existir e deixando, se torna inexistência. São coisas desnutridas ou descartadas, se foram porque algo ou alguém não resistiu e desistidas, só podem existir na contramão de si mesmas, sós e inertes, inativas, descontinuadas, desorientadas […]